Seja bem-vindo (a) ao Hospital da LAPA

Pedido de marcação online : aqui
  Contacto : 22 550 28 28

Centro de Cardiologia

centro-cardiologia-lapa

A Cardiologia é a especialidade médica que diagnostica e trata as doenças do coração, em geral doenças adquiridas, como por exemplo, a doença coronária, a insuficiência cardíaca e as arritmias. As doenças cardíacas congénitas podem, hoje em dia, ser diagnosticadas antes do nascimento ou na infância e devem ser avaliadas no âmbito da cardiologia pediátrica.

Este centro dispõe de um corpo profissional de excelência que visa promover a saúde através da prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças cardíacas. Os exames mais frequentemente usados na avaliação dos doentes cardíacos são: electrocardiografia de repouso, monitorização de ECG m 24 horas (Holter), prova de esforço em tapete rolante, monitorização da pressão arterial em 24 horas (MAPA) e ecocardiografia bidimensional ou com estudo doppler.

Como prevenir doenças cardiovasculares?

Certamente que já sabia que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no nosso país e na Europa

O que fazer então para as doenças cardiovasculares deixarem de ser uma causa importante de mortalidade e de morbilidade no nosso país?
A resposta a esta pergunta pode resumir-se no seguinte:
- Melhorar os nossos hábitos e o nosso comportamento (prevenção primária)
- Fazer o diagnóstico da aterosclerose arterial em fase inicial (diagnóstico precoce)
- Tratar os doentes de alto risco ou após o acidente cardiovascular (prevenção secundária).

“Prevenir é sempre o melhor remédio”

Mudar os hábitos e o comportamento das pessoas é tarefa complicada. Contudo este tipo de prevenção é fundamental na educação das crianças e jovens no sentido de obter hábitos saudáveis, tais como:
1- Não fumar. Esta é talvez a medida de saúde publica com maior impacto na redução da mortalidade em todas as idades. Se não consegue deixar de fumar aconselhe-se com o seu médico sobre a possibilidade de ajuda especializada.
2- Comer com muito pouco sal. A hipertensão arterial é rara nas populações que comem “sem sal”, isto é com menos de 3 gramas de sal/dia ou seja cerca de 1 grama de Sódio/dia. Mesmo pequenas reduções da ingestão de sal são muito eficazes. A redução de 2 gramas de sal/dia reduz 20% a taxa de acidentes cardiovasculares!
3- Combater o sedentarismo e a inatividade. As recomendações médicas sugerem que o exercício ideal deverá realizar-se 5 a 7 vezes por semana, ter a duração de 30 minutos e intensidade moderada. Mesmo níveis de esforço muito inferiores são benéficos para a saúde e permitem melhorar a qualidade de vida, principalmente nos idosos.
4- Evitar as gorduras animais e os açúcares. Comer frutos, legumes, saladas e incluir as fibras na alimentação. Estes alimentos reduzem a tensão arterial e a taxa de colesterol.
5- Controlar o peso. Saber qual é o peso ideal e como fazer para o atingir. A obesidade é um verdadeiro flagelo em todas as idades.

A chamada prevenção primordial que, por vezes, envolve aspetos legislativos (proibição de fumar, redução do teor do sal no pão, orientações para a rotulagem de alimentos…) têm-se revelado particularmente útil para conseguir estes objectivos. Como se pode constatar, até ao momento, não se fala em medicamentos. Sugere-se apenas a adoção de hábitos mais saudáveis e de mudanças de comportamento.

Vou fazer um electrocardiograma?

O que é e para que serve ?

O electrocardiograma (ECG) é o registo da actividade eléctrica cardíaca e faz-se com um electrocardiógrafo. Um electrocardiógrafo é um galvanómetro, essencialmente um aparelho capaz de medir diferenças de pontencial entre 2 pontos e regista correntes de pequena intensidade.O doente deve ficar deitado confortavelmente, calmo e com os braços e pernas muito bem descontraidos, de forma a evitar o registo da actividade muscular.

Um bom registo é fundamental para uma boa interpretação.

O ECG é um exame muito importante para o diagnóstico de arritmias, enfarte do miocárdio e muitas outras doenças. No entanto, um ECG normal não exclui a existência de doença cardíaca grave. Guarde e mantenha o traçado em bom estado de conservação pois pode ser muito útil, mais tarde, para comparação.
O electrocardiograma permite estudar a origem do batimento desde o nó sinoauricular e auriculas (onda P) e a condução deste estimulo eléctrico através do nó auriculo-ventricular e ramos esquerdo e direito, até aos ventrículos (QRS). O atraso ou bloqueio da condução através do ramo direito (BRD) ou o ramo esquerdo (BRE) origina uma alteração caracteristica do complexo ventricular QRS.

O enfarte do miocardio, o estudo de arritmias graves e a analise do funcionamento de um “pacemaker” são boas indicações para a realizacão de um electrocardiograma. Colabore. Descontraia-se e fique confortavelmente calmo e sossegado. Um bom registo do electrocardiograma depende da sua atitude ou não fora este exame o REGISTO DA ACTIVIDADE ELÉCTRICA DO SEU CORAÇÃO.

Vou fazer um hotler?

O que é e para que serve ?

A monitorização electrocardiográfica ambulatória contínua (MEAC), vulgarmente conhecida por Holter, é um exame que permite o registo contínuo do ECG durante 24 horas ou mais tempo. Podem registar-se 3 ou 12 derivações. Destina-se a detectar alterações do ritmo cardíaco e da morfologia do ECG durante a sua actividade diária normal e, por vezes, correlacionar estas alterações com os sintomas que preocupam o paciente (ex: palpitações, dor precordial e perda de consciência).

A pele do tórax é preparada e desengordurada com álcool e os eléctrodos autoadesivos aplicados. Os cabos são depois ligados ao registador que, por sua vez, será transportado à cintura em bolsa apropriada. Durante as 24 horas o paciente deve fazer a sua vida normal, excepto tomar banho, Deve também registar, num diário, a hora a que ocorrem os sintomas, assim como alguns momentos da sua actividade diária (esforços físicos, dormir, acordar). O registo é depois analisado em computador e todos os episódios relevantes são classificados de acordo com o seu significado clínico.

Em algumas situações pode proceder-se a monitorização do ECG com um registador de eventos ou fazer registos contínuos de muito longa duração (1 semana ou mais).

Os registos de eventos ou de longa duração destinam-se a avaliar sintomas esporádicos e arritmias intermitentes, quando a probabilidade de ocorrência destes episódios num registo de Holter (24 ou 48 horas) é muito diminuta. Trata-se de um registador de pequenas dimensões (A), que armazena o ECG e sinaliza os episódios que o doente assinalou, de forma a evidenciar o ritmo cardiaco nesse momento.

O estudo de arritmias e a análise do funcionamento de “pacemaker” são boas indicações para a realizacão de um registo de Holter ou de Eventos.Se é alérgico ao adesivo ou tem problemas deste tipo na pele avise o médico e o técnico. Um bom registo do Holter depende também da sua atitude. Em caso de dúvida contacte o seu médico assistente ou os nossos consultórios para que lhe sejam fornecidas todas as informações que necessita.

Vou fazer um teste de esforço?

O que é e para que serve ?

O Teste de Esforço, também chamado Prova de Esforço, ajuda o seu médico a saber como o seu coração reage a um esforço físico e pode dar indicações muito úteis para o diagnóstico das doenças cardíacas (angina de peito…). O doente deve evitar apoiar-se nos amparos de segurança do tapete. A contracção dos músculos dos braços ocasiona muitos artefactos no ECG. O apoio origina ainda valores erradamente elevados no cálculo da capacidade máxima de esforço.

É um exame com muito baixo risco mas exige uma boa colaboração do doente.
É geralmente realizado por um técnico de cardiopneumologia e supervisionado por um médico ou um cardiologista.

O teste termina quando se atinge fadiga ou quando surgem sintomas ou alterações (ECG, TA, arritmias). Um teste de esforço normal pode não ser suficiente para o diagnóstico correcto. Por vezes o resultado é equívoco, sendo necessário o recurso a outros exames, como por exemplo coronáriografia, cintigrafia, angioTAC, ou Eco de stress.

O estudo do doente após enfarte do miocárdio é uma indicação frequente. Nestes casos, é importante determinar se há isquemia residual e se há redução acentuada da capacidade de esforço. Em geral, não deve usar-se o teste de esforço quando existe bloqueio completo de ramo esquerdo (BRE) pois o ECG de esforço não é interpretável. Não deve fazer nenhuma refeição 3 horas antes do teste. É muito importante saber informar os nomes dos seus medicamentos e respectivas doses.

Vou fazer um ecocardiograma?

O que é um ecocardiograma?

Um ecocardiograma (eco) é um teste que usa ondas de som de alta frequência (ultra-sons) para fazer imagens e pequenos vídeos do seu coração.

Um ecógrafo usa ondas sonoras para criar imagens das câmaras, válvulas, paredes e vasos sanguíneos do seu coração (aorta, artérias, veias. Uma sonda chamada transdutor é encostada ao peito. A sonda produz ondas de som que se refletem no coração e "ecoam" para a sonda. Estas ondas são transformadas em imagens visualizadas num monitor de vídeo.

Um eco não pode prejudicá-lo?  Para quê fazer um eco?
O seu médico pode pedir um eco para examinar a estrutura do seu coração e verificar como funciona o seu coração:
- O tamanho e a forma do coração, o tamanho, a espessura e o movimento das paredes. A forma como se contrai. A força de bombeamento do coração.
- Se as válvulas do coração estão a funcionar corretamente.
- Se o sangue está a refluir anormalmente para trás através das válvulas cardíacas (regurgitação).Se as válvulas cardíacas estão estreitadas (estenose).
- Se há um tumor ou foco infecioso em torno das válvulas cardíacas.

O teste também ajudará o seu médico a descobrir se existem:
- Problemas com o revestimento externo do coração (o pericárdio).
- Coágulos de sangue nas câmaras. Buracos anormais entre as câmaras do coração.

Quais são os riscos?
- Um eco não pode prejudicá-lo. Não tem riscos-
- Um eco não prejudica e não tem efeitos colaterais.

Como faço para me preparar para o eco?
- Não precisa fazer nada de especial. Pode comer e beber antes do teste, como costumava fazer.

O que é fibrilação auricular?

Se tem mais de 65 anos e sente palpitações pode estar em risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Sabia que …
- os AVCs são a primeira causa de morte ou incapacidade no nosso país ?
- muitos deles surgem sem aviso prévio, nomeadamente os AVCs relacionados com a fibrilação auricular ?
- são mais extensos, mais graves e mais incapacitantes que os AVCs de outro tipo?
- têm maior incidência nos indivíduos com mais de 65 anos e, ainda mais, acima dos 75 anos ?

O que é a fibrilação auricular e porque origina o AVC ?
A fibrilação auricular é uma arritmia que tem a particularidade de ocasionar a paragem das aurículas (tipo caimbra), o que facilita a formação de coágulos sanguíneos dentro desta cavidade. Estes coágulos podem entrar na circulação arterial e provocar um AVC.

Porém ... há meios de diagnóstico para identificar esta arritmia e assim prevenir este acidente:
• palpação do pulso e realização de um eletrocardiograma caso o pulso seja arrítmico;
• monitorização contínua tipo Holter (1, 3 ou 7 dias);
• dispositivos portáteis acopláveis a telemóvel, que fazem o registo de anomalias do ritmo cardíaco caso se verifiquem

O que fazer?
- ECG de repouso
- Holter 1-7 dias
- Registadores intermitentes de ECG

Não esqueça ...
- Se tem mais de 65 anos, ou pior ainda, mais de 75 anos, e sente batimentos rápidos e irregulares, consecutivos, durante cinco ou mais segundos;
- Se é mulher ou tem fatores de risco como hipertensão arterial, diabetes, problemas cardíacos prévios...;
- Se teve já teve um AVC sem causa conhecida ou mal esclarecida.

Consulte um médico.

Médico da especialidade | Marcação de consultas online